Conheça um pouco da nossa história

2000

Início das Atividades

Após o retorno do treinamento de doutorado do Prof. Coord. Aziz Galvão, é formada uma equipe de pesquisa aplicada e extensão que compartilhava dos mesmos valores, visão e missão da equipe atual

"Associação Dona Judith"

O projeto de extensão foi implantado em uma propriedade rural de cerca de 70 ha no município de Canaã, que fica nas proximidades de Viçosa. Teve iniciativa do então aluno da Agronomia, Hélcio Lopes, que buscava aplicar os conhecimentos dadisciplina de Administração Rural na propriedade da família e contou com grande ajuda da Profª. France Gontijo, da área de extensão rural

 

"Agronegócio Familiar"

Implementado no município de São Miguel do Anta, também na Zona da Mata Mineira, o projeto nasceu da busca da coordenação do curso de Gestão do Agronegócio pela administração municipal de São Miguel do Anta e pela gerência da agência local do Banco do Brasil, para auxiliá-los no processo de concessão de créditos no município. Contou com auxílio dos alunos Diogo Arruda, Yves Lage e Sérgio Teixeira do curso de agronegócio que tiveram trabalho reconhecido e apoiado pelo Banco do Brasil, que passou a firmar com eles contratos temporários de trabalho

"Biosoft"

O Professor Carlos Arthur, que na época assumia um posto na Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO) em Roma, convidou o Prof. Aziz Galvão para  integrar uma equipe na UFV e continuar o projeto de desenvolvimento de um sistema para o Ministério do Desenvolvimento Agrário (MDA) na área de biodiesel. Para validar o sistema desenvolvido, batizado de Biosoft, foram selecionados projetos reais envolvendo as culturas da soja, mamona e palma (dendê). Após o desenvolvimento do sistema, a equipe da UFV foi recontratada pelo MDA para realizar análises de projetos em todo o Brasil, sendo realizadas mais de 100 análises, gerando dezenas de relatórios e publicações disponibilizadas livremente

O sistema Biosoft para o MDA chamou a atenção do escritório da FAO em Santiago do Chile e, a partir de uma reunião com a presença do Diretor Geral do escritório regional Dr. Graziano da Silva, foi aprovado o projeto de aprimoramento do sistema Biosoft e disponibilização de versões em português, espanhol e inglês.

O contato com a FAO foi gerenciado pelo Oficial de Mercado e Crédito, Dr. Guilherme Schuetz, e pelo Oficial de Bioenergia Sr. Felipe Duhart.

Após a disponibilização do sistema, a equipe técnica da UFV foi recontratada para capacitar profissionais selecionados pelos governos de países da América Latina no uso do sistema e análise de projetos agrícolas e agroindustriais. As comitivas eram chefiadas pelo Oficial Felipe Duhart, que desde a primeira visita criou um laço forte com a UFV

Também este período, a FAO e a Itaipu Binacional desenvolviam parcerias na área de biogás, as quais eram coordenadas pelo agrônomo Kleber Vanolli, que passou a participar de atividades conjuntas com a FAO também na área de biodiesel.

O contato estabelecido viabilizou ações conjuntas com a UFV e um projeto com o Professor Evandro Melo na área de secagem de grãos no âmbito da inovadora iniciativa da Itaipu Binacional na área de biogás, chamada Condomínio Ajuricaba. Além disso, o Kleber Vanolli atuava também em projetos na área de recursos hídricos no meio rural e tornou-se um grande parceiro em projetos de microbacias na UFV

"eTrust"

Prof. Schiefer convidou, em 2005, o Prof. Aziz Galvão para participar do projeto eTrust: Bulding trust for quality assurance in emerging markets for food chains, financiado pela Comissão Europeia e que  envolvia pesquisadores de 10 universidades da Europa, América do Norte e América Latina.

A discussão de temas como confiança e o impacto de diferenças culturais no comércio agrícola internacional, com pesquisadores de diferentes origens, foi uma experiência ímpar de de grande produtividade

2011

Projeto SALSA

Um novo convite do Professor Schiefer é feito, dessa vez para a participação em outro projeto financiado pela Comissão Europeia, denominado SALSA.  Esse projeto teve como objetivo desenvolver instrumentos para o monitoramento dos impactos éticos, ambientais e socioeconômicos no comércio agrícola entre a América Latina e a Europa, (Knowledge-based Sustainable vAlue-added food chains: innovative tooLs for monitoring ethical, environmental and Socio-economical impActs and implementing Eu-LAC shared strategies). Contou-se com a participação de diversos estagiários como os alunos Arthur Falcette, Lucas Aguiar, Mateus Nogueira, e Felipe Oliveira, entre outros e com a coordenação do Professor Cesare Zanasi da Universidade de Bolonha.  

As cadeias de produção de soja e carne bovina foram selecionadas no Projeto SALSA em função da importância destes produtos para o comércio entre as duas regiões. Os 36 meses de duração do  projeto e as etapas posteriores foram altamente produtivas e bastante dinâmicas. Participaram do projeto diversos setores envolvidos no agronegócio como universidades da Holanda, Bélgica, México, institutos de pesquisa da Suiça, Hungria e Brasil e organizações e empresas da Alemanha, Holanda, Argentina e Bélgica. 

Durante o projeto Salsa, houve uma grande interação entre as duas instituições brasileiras: Embrapa Gado de Corte, coordenada no projeto pelo Dr. Davi Bungenstab, e a UFV. Além das oportunidades de estágios para a equipe AgroPlus, os alunos receberam conselhos e indicações valiosos, que viabilizou mais de uma dezena de contratações de ex-estagiários no Mato Grosso do Sul.

Antes ainda da finalização do projeto SALSA, a equipe AgroPlus passou a integrar o programa SojaPlus, a partir do produtivo contato com a Associação Brasileira das Indústrias de Óleos Vegetais (ABIOVE). SojaPlus é uma das mais importantes iniciativas na área de sustentabilidade do agronegócio brasileiro.

LEIA MAIS 

Outros projetos de pesquisa aplicada e extensão foram implementados, tais como o trabalho com a FIEMG de Belo Horizonte nas áreas de suinocultura e produção de cachaça, com a Cooperativa COOPEAVE de Santa Maria de Jetibá-ES na cafeicultura e com a ABANORTE na bananicultura do Norte de Minas, onde também foram coordenados seminários pelo Prof. Coord. Aziz Galvão  com o apoio do gerente da regional Norte da EPAMIG, o ex-aluno da UFV, Marco Antônio Leite. Além dessas,  foram realizadas atividades com a Sociedade Rural Brasileira (SRB), nas quais o acadêmico Renato Oliveira teve participação decisiva.

 Atualmente

Equipe AgroPlus

No estado de Mato Grosso do Sul, a partir de uma iniciativa do Diretor da
Cooperativa COOPSEMA, está sendo desenvolvido um projeto de grande relevância para formação de nossos alunos. O Marcus Lopes, ex-aluno da UFV e ex-membro da equipe AgroPlus, implementou um amplo processo de mapeamento,
análise e monitoramento de processos de negócios nesta cooperativa, além de realizar operações inovadoras na modalidade conhecida como Barter.

Um programa de estágio está sendo discutido com a diretoria e cooperados no qual alunos da UFV terão a oportunidade de se capacitarem na metodologia de análise de processos de negócios e operações financeiras. 
Recentemente, membros da equipe AgroPlus realizaram estágios nesta região e obtiveram resultados positivos na aplicação da metodologia de processos de negócios

Em relação aos projetos de pesquisa aplicada, está sendo implementado, de forma experimental o método de análise de redes sociais para difusão de tecnologia no estado de Mato Grosso, a partir de dados fornecidos pelo Sistema FAMATO. As perspectivas futuras são de ampliação do escopo do trabalho para todo o estado, com uso de dados primários.

Considerando a importância da agricultura do Mato Grosso para o agronegócio brasileiro e o papel de destaque e inovador do sistema FAMATO, este projeto, se concretizado, será estratégico para o grupo de  Administração Rural e Agronegócio do Departamento de Economia Rural (DER). 

Entre os projetos que estão sendo desenvolvidos em Minas Gerais atualmente pela equipe AgroPlus está um que ocorre no âmbito de Pagamento por Serviços Ambientais (PSA) no Município de Ubá. Esta iniciativa é a  continuação de uma parceria com projetos inovadores implementados  pelo Engenheiro Agrícola Antônio Amaral na área de recuperação de microbacias nas regiões de Coimbra e Olaria

O SojaPlus é um projeto que tem por objetivo capacitar estudantes a auxiliar o produtor rural com as demandas que a legislação lhe impõe, nos âmbitos: meio ambiente e resíduos, construções rurais, saúde e segurança no trabalho rural. Garante tanto para o mercado interno quanto externo a qualidade e sustentabilidade do complexo da soja brasileira. 

Conheça mais sobre o projeto,

CLIQUE AQUI

No final de 2018, recebemos com  satisfação a notícia da aprovação pela
AIBA/Fundeagro da segunda etapa do projeto Urucuia no Oeste da Bahia. Nesta fase serão desenvolvidas ações na área de governança coordenadas pelo Professor Coordenador da Equipe, Aziz Galvão e pelo Professor Everardo Mantovani e , além da simulação do uso de recursos hídricos subterrâneos do aquífero Urucuia e  inteligência territorial do Oeste da Bahia, sob a coordenação dos Professores  Marcos Heil e Eduardo Marques, ambos da UFV, e Gerson Silva da UFRJ.

O projeto conta com envolvimento de lideranças rurais, Governo do Estado da Bahia e organizações como Agência  Nacional de Águas (ANA), Serviço Geológico Brasileiro (CPRM), EMBRAPA e
Instituto Water for Food da Universidade do Nebraska (Prof. Christopher Neale). 

Conheça mais sobre o projeto, 

CLIQUE AQUI

No âmbito de ações no Oeste da Bahia, está sendo discutido também um projeto para a agricultura familiar irrigada. Algumas ações já estão sendo implementadas, como a implantação de um sistema de irrigação localizada na Fazenda Modelo do Instituto AIBA de Barreiras com apoio da empresa Naandanjain (Sr. Alfredo Lopes). Estagiários da equipe AgroPlus realizaram um estágio na sede da empresa em Leme, SP e auxiliaram a
instalação dos sistemas na Bahia. O Instituto Water for Food está também envolvido e tem experiência em projetos de irrigação compartilhada por pivô central na África em parceria com a empresa Valmont

AgroPlus UFV

Tel: (31) 3612 - 4322